Archive for maio \28\UTC 2012

maio 28, 2012

eu luto diariamente uma batalha
que travo sem revólver nem navalha
pois ela ocorre apenas num escuro
no breu do meu pensar, eis meu apuro

peleja que não tem cota de malha
que toda a vez que deixo, vai, se espalha
mas juro pra vocês que não procuro
apenas acontece e então aturo

não sei de novidade sob o sol
viver implica sempre em um perigo
aceito o que o destino me legou

eu passo por demais tempo comigo
mas como vou deixar de ser quem sou?
em luto: pois eu sou meu inimigo.

maio 16, 2012

pretende então fazer o que precisa
pra vida poder ter sentido, rumo?
esqueça dos conselhos, quem avisa
apenas escurece o ar com fumo

a mente que ouve muito é indecisa
você deve buscar o próprio prumo
a busca, deve ser a mais concisa
pois dela só se extrai bem pouco sumo

jamais se iluda em ser quem se não é
você tem de saber o seu caminho
não creia que na vida tudo é fé

terá diariamente um torvelinho
dará no que nos trava um pontapé
verá que se suporta cada espinho.

pra toda gente escrota da minha vida:

maio 4, 2012

pra toda gente escrota da minha vida:
eu sei que vocês todos tem razão
no entanto nestas linhas dou vazão
àquilo que é meu ponto de partida

e tomo meu caminho sem saída
pois sei que tentar outro será vão
bem sei que não está na minha mão
a escolha pela sina merecida

e quem da vida sabe seus mistérios?
no entanto falam, certos, toda a vez
pra quem não concordar dão impropérios

assistam fielmente suas tevês
eu tenho meus problemas e são sérios
mas (glória aos céus) não sou como vocês.