a chuva vai caindo sobre o asfalto
o negro salpicado de brilhantes
apenas passa um tímido, ao longe, auto
as gotas se espatifam inconstantes

na luz cinzenta e fria vi de assalto
a mancha d’óleo como nunca eu antes
a vira, ali no chão com brilho e fausto
arco-íris feito em flores delirantes

olhando aquelas cores escorrentes
notei que muitas vezes encontramos
aquilo que sentimos em correntes

que prendem a noções que deturpamos
nos úmidos porões de nossas mentes
beleza brota em improváveis ramos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: