‘tudo deserto no dia-de-ano.’

me sinto só, me sinto muito bem
(naquilo que é tangente à solidão)
espero, ingenuamente, por alguém?
nem sei, indiferente, olho pro chão

eu penso no que vai e no que vem
sentindo levemente minha mão
pergunto se haveria alguém também
com essas babaquices sendo vão

havendo tal pessoa tão perdida
espero poder vê-la em minha frente
não é para dizer coisas sofridas

direi como homem sério, o qual não mente
pensando a trajetória já falida:
“mermão, largue essa mão e vai ser gente!”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: