devoto pouco amor ao palavrório
e bem menos amor pelas idéias
palavra faz o eterno provisório
e os ideais violam a mãe réia

procuro ter amores sãos e sóbrios
algumas gentes, coisas bem singelas
uns livros, meu mau gênio que é notório
eu amo, inclusive, ter mazelas

vocês devem pensar que estou chapado
eu digo e contradigo esse nó górdio
duvido fortemente estar errado

se busca a retidão procure um ódio
e tenha o que eu digo como um dado:
amor sempre será contraditório.

Anúncios

Uma resposta to “”

  1. Juliana Says:

    acho que percebemos o mesmo mas concluimos diversamente. eu devoto amor ao que você não devota. é engraçado até. mas esse poema é bem você e, acho, o que eu escrevi ainda há pouco em meu blog é bem eu. e nem acho que eu ou você estejamos certos ou errados. acho que cada um tem o seu certo e o seu errado né?
    mas não sou boa pra filosofar, então vou parar por aqui 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: