Bragalhus Bragulhas

eu quero ir pro sertão, ter uma doze
revólver trinta e oito, cão, cavalo
viola de dez cordas, uma foice
martelo… mas não símbolos, usá-los

com roupas que à mão mesmo se cose
espírito que vai sem ter abalos
mas tendo um coração que bate aos coices
e olhar que no escuro se faz claro

temperos da comida e das violas
as rimas encontradas pela noite
das musas eu mendigo ter esmolas

por vezes eu só tenho mesmo açoite
de ti, leitor canalha que me esfolas
mas inda assim insisto nessa corte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: