Archive for setembro \22\UTC 2009

Bragalhus Bragulhas

setembro 22, 2009

eu quero ir pro sertão, ter uma doze
revólver trinta e oito, cão, cavalo
viola de dez cordas, uma foice
martelo… mas não símbolos, usá-los

com roupas que à mão mesmo se cose
espírito que vai sem ter abalos
mas tendo um coração que bate aos coices
e olhar que no escuro se faz claro

temperos da comida e das violas
as rimas encontradas pela noite
das musas eu mendigo ter esmolas

por vezes eu só tenho mesmo açoite
de ti, leitor canalha que me esfolas
mas inda assim insisto nessa corte.

setembro 18, 2009

não passo de um palhaço e a cada passo
eu peço a deus perdão… pelo alvoroço
que fiz lá no palácio, o velho paço
foi pela pinga pura antes do almoço

e muito errado foi aquele amasso
que dei naquela moça (ou era um moço?)
que porra, eu nem sei mais o que eu faço
desculpem, meus leitores, por ser grosso

quisera, sim, tentar ser menos crasso
mas sou um troglodita até o caroço
você pode sacar pelo meu braço

roliço e bem veiudo, é um colosso
enfim, eu deixo a todos grande abraço
que já deu a minha hora, então é osso.

vá com fé, ô barnabé

setembro 18, 2009

sei lá que porra aconteceu comigo
se foi por ver tevê demais domingo
ou não, se foi por que você mentiu
fazendo eu me sentir por dentro frio

agora minha vida está por fio
a bomba que acabou o seu pavio
sozinho, não restou nem um amigo
talvez por só ouvir agora Arrigo

eu sei que não terei nada pra já
estou perdendo grana no cassino
espero que você venha pra cá

assim relembraremos desatino
riremos, não será mais coisa má
mas hoje eu não consigo ser tão fino.

cemitério:

setembro 11, 2009

‘eu me ferro’
impropério
disse o velho
sem mistério
meio aéreo
veio um berro
‘sacrilégio
contra o clero
e o evangélio!’
lugar sério
PIAUÍ.

xidonlai

setembro 11, 2009

usando qualquer droga a qualquer hora
bebendo fermentado e destilado
fazendo na cabeça uma masmorra
cagando a sua vida em todo o lado

que gosto tem na boca? sangue e porra?
o tiro na bandeja é esticado
querendo enlouquecer, e sem demora
se faz entorpecido, está chapado

acima desse inferno existe terra?
será que lá da terra se vê céu?
nem sabe se é mais homem ou mais fera

cindido, é uma vítima que é réu
e tudo ao seu redor se desintegra
amarga cocaína, um camafeu.

msn

setembro 1, 2009

denial diz:
respiro com mais força e mordo a orelha
você está suando e está vermelha
e diz aquilo que eu desejo ouvir
enquanto você tem meu ir e vir
denial diz:
sentindo lá no fundo uma centelha
não deixa de ter fé e se ajoelha
enquanto estou deitado eu sou faquir
sentindo prego a prego me ferir
denial diz:
tão linda estando nua e sem enfeites
seu corpo de menina aqui por cima
que faz seu desafio pra quem peita
denial diz:
não há como nós dois perdermos clima
assim, nós dois teremos ao deleite
você estará cheia de uma rima
denial diz:
ah
denial diz:
NÃO GOSTO QUE VC TIRE A ROUPA EM PÚBLICO.