Soneto (op. 77)

‘mamãe, mamãe, matei sim, a um homem’
(ou algo assim, enfim) aí que eu vi
e pude compreender porque não some
nenhuma das memórias do david

jamais ouvi do mesmo jeito ao queen
nem mesmo o inocente bem-te-vi
(que canta: rei-david!) restou pra mim
do modo que um dia o entendi

talvez eu não devesse alimentar
aos males da psique aqui em questão
em seu modo de ser tão peculiar

o que que eu vou fazer? descer-lhe a mão?
não posso (já tentei…), pois deixo estar
e deixo a deus pra dar-lhe (ou não) razão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: