Estrambote (op. 050) –

Dulcíssima senhora do Toboso
Unívoca, galharda, estimadíssima
Loucura deste bardo opobrioso
Começa a avizinhar-se aqui por cima

Iludo-me que luto com colosso
Naquilo que seria minha lástima
Eu sou parco em grandeza, sou faltoso
Alijo-me, pois sim, de minha esgrima

Daqui desta tristeza em que me encontro
Eu canto com mau plectro a formosura
Lanterna a iluminar com grã candura

Tiraste-me, senhora, do meu antro
Obséquio que obtive na doçura
Belíssima senhora, que paúra!

Olvido de mim próprio, perdi centro:
Somente sou um rústico falsário
Obtendo algum ganhar da mão de otário.

Anúncios

Uma resposta to “Estrambote (op. 050) –”

  1. juliana Says:

    muiiiiiiiiiito bom!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: