Soneto (op. 030)

exuberante é ânima que tem
artífice, é o papel feito ao papel
gostar de se esfregar, rush no trem
espírito da terra e não do céu

desejo torto o faz como um refém
a bunda, um belo cu, é seu troféu
esfrega lá, esfrega sim, e além
a abelha pervertida faz seu mel

maduro e de bom gosto, acredite
estranho pode ser este apetite
pudera, pois você não é tão seu

vadia, muito deu, também comeu
a ponto de se ter, de se estar quite
barroco do seu jeito, assim como eu

Anúncios

Uma resposta to “Soneto (op. 030)”

  1. Fabrício Sicardi Says:

    Braga, que legal!!!!!!!!!
    O artífice é vc! Muito bom!!!! Mesmo!
    Abração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: